janeiro 04, 2012

2012 sem cigarros

                 Quer parar de fumar?

Muitas são as promessas de inicio de ano, a mais comum para os fumantes é parar de fumar e ter uma vida mais saudável e menos sedentária. O primeiro passo não é tão difícil como se pensa, o problema são os dias que seguem. Mesmo assim, especialistas psicológicos afirmam que o incentivo para esses dias é o primeiro passo: desejo de ficar longe dos cigarros.
A campanha do fantástico de 2011, Brasil sem cigarros, trouxe o Dr. Drauzio Varella com a série de reportagens para auxiliar fumantes nessa empreitada pessoal que traz testes de resistências e superação física e psicológica.
O Ministério da Saúde oferece o Disque Pare de Fumar, da gestão estratégica e participativa do governo, com parceria com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), para orientar os fumantes como deixar o vício, sobre os riscos do tabagismo, e endereços de centros de saúde para atender as necessidades do fumante. 
A DEPENDÊNCIA DA NICOTINA
A dependência de nicotina caracteriza-se de três formas básicas: dependência física, responsável por sintomas da síndrome de abstinência quando se deixa de fumar; dependência psicológica, responsável pela sensação de ter no cigarro um apoio ou um mecanismo de adaptação para lidar com sentimentos de solidão, frustração, com as pressões sociais, etc; e condicionamento, representado por associações habituais como fumar e tomar café, fumar e trabalhar, fumar e dirigir, fumar e consumir bebidas alcoólicas, fumar após as refeições e outras.
O tratamento do fumante tem como eixo fundamental a abordagem cognitivo-comportamental para informá-lo sobre os riscos de fumar e os benefícios de parar de fumar, motivá-lo a deixar o vício e apoiá-lo no processo de cessação de fumar com orientações para lidar com a dependência.
Essa abordagem poderá, dependendo da situação, ter um melhor resultado quando apoiado por medicamentos que diminuem os sintomas da síndrome de abstinência, para os pacientes que têm um alto grau de dependência.
PARE DE FUMAR
Estudos mostram que sempre há benefícios para quem deixa de fumar, independente da idade. No sítio do Instituto Nacional de Câncer do Ministério da Saúde há ainda uma série de dicas para quem deseja largar o cigarro.
Veja os benefícios para quem se livra da dependência da nicotina
Para a saúde:
- Após 2 minutos a pressão arterial e a pulsação voltam ao normal.
- Após 3 semanas a respiração se torna mais fácil e a circulação melhora.
- Após 1 ano risco de morte por infarto miocárdio se reduz a metade.
- Após 5 a 10 anos o risco de sofrer infarto será igual ao das pessoas que nunca fumaram.
- Após 20 anos o risco de contrair câncer de pulmão será igual ao das pessoas que nunca fumaram.
Para o orçamento:
- Vale à pena refletir quanto ao gasto com a compra do cigarro e a economia feita ao deixar de fumar. O dinheiro empregado na sua compra poderia ser melhor utilizado em outras finalidades. Por exemplo, se o fumante consome 1 maço de cigarro por dia no valor de R$4,50 em um ano ele pode economizar o total de
R$1.642,00. Com esse valor é possível trocar seu computador todos os anos, ou viajar com sua família durante 4 dias no litoral paulista durante a virada do ano, ou até mesmo ir para o Chile em Junho.
Para a vida em comunidade:
- Fortalecimento da auto-estima;
- Melhora do hálito;
- Melhora da coloração dos dentes e da vitalidade da pele;
- Melhora no desempenho nas atividades físicas e pratica sexual;
- Contribuir para a redução dos danos ao meio ambiente, já que para cada 300 cigarros produzidos, uma arvore é derrubada, e o filtro do cigarro leva cerca de 100 anos para ser degradado.

janeiro 03, 2012

Jornalista Daniel Piza morre aos 41 anos

"O passado é uma dívida; o futuro é uma especulação; mas quem cobra é o presente".
Daniel Piza




O jornalista e escritor Daniel Piza, morreu na noite do tia 30 de dezembro, vítima de um acidente vascular cerebral. Daniel estava com a família em Gonçalves (MG), passando as festas de fim de ano.

Paulistano e corintiano fanático, Piza era colunista do jornal O Estado de S. Paulo, onde começou a carreira em 1991. Escrevia aos domingos no Caderno 2 e, desde 2004, assinava também uma coluna sobre futebol, além de manter um blog no portalestadão.com.br. Apresentou os programasEstadão no Ar e Direto da Redação na rádioEstadão ESPN.
Advogado, formado no Largo de São Francisco, era escritor, com 17 livros publicados, entre eles Jornalismo Cultural (2003), a biografia Machado de Assis - Um Gênio Brasileiro (2005), Aforismos sem Juízo (2008) e os contos de Noites Urbanas(2010). Traduziu títulos de autores como Herman Melville e Henry James e organizou seis outros, nas áreas de jornalismo cultural e literatura brasileira. Fez também os roteiros dos documentários São Paulo - Retratos do Mundo e Um Paraíso Perdido - Amazônia de Euclides.


fonte: Estado de São Paulo


janeiro 02, 2012

Arquivo do blog