fevereiro 27, 2011

Restaurante Maiala - O novo lazer dos rosários

Na semana de inauguração, o restaurante Malaia abriu suas portas na cidade de Pirenópolis. Fui recepcionado pela hostess Daniela Kafuni, que tratou pelo meu nome, não porque me conhecia, mas sim porque a única mesa que estava vazia estava me aguardando. Restaurante lotado com pessoas curiosas e alegres brindando e saboreando cada prato sugerido no cardápio.
Lembra da turma que encontrei na Divina Pousada antes de sair? Olha eles aqui! Guerino Anizelli, Juliana, Rubens Fontes e Bruna Meireles.

O clima do restaurante é apaixonante com iluminação perfeita: luzes baixas próximas das mesas; velas como charme inesquecível nos balcões e mesas; adega iluminada perfeitamente visível para todos os clientes; balcão de bebidas com luzes fortes; e ao fundo a cozinha com paredes de vidro iluminando e dando toque especial “estamos cozinhando para você”.
Fui direto para a cozinha, deixei meus pertences na mesa central, muito bem posicionada e com minha câmera fui em direção ao chefe para conhecer a cozinha e os mestres daquele cardápio. Olhei no fogão pedaços, muito bem cortados, de filet mignon feito ao vinho pelas mãos do mestre Lúcio, e isso ficou na minha mente aguçada de olhos bem grandes com dentes afiadíssimos.  Tudo estava muito bem posicionado, organização e correria é o lema daquela cozinha como em todos os bons restaurantes.

Raman Brandão é o músico talentoso responsável pela noite do Malaia tocando classic rock. Iniciou a noite com Hotel Califórnia de Eagles (“welcome to the Hotel California, such a lovely place, such a lovely face”). Combinou com o ambiente, such a lovely place!
Lembrei dos filets e clamei o meu pedido da noite: Fileto Alvino – Medalhão de filet mignon reduzido de vinho tinto com batata gratinada; O prato não demorou 20 minutos para chegar à mesa solitária, esse foi o único detalhe da noite que passou despercebido. Por sorte, encontrei com o casal francês James Gachet e Gilmara Gachet, chefe da Divina Pousada, que sentaram comigo durante a refeição e trocamos conversas e risadas ao som do Raman.
O sabor da carne ao molho madeira e champignon estava concentrado marcando a textura e maciez do filet. A cremosidade do molho distinto nas batatas equilibrou o prato. Recomendo o prato decorado carinhosamente para quem visitar o restaurante.
O restaurante Malaia combina com a cidade de Piri. Um vendedor de livros entrou no ambiente oferecendo o exemplar do “A Face da Múmia”, não lembro o autor, mas a visita é peculiar em todas as portas da cidade. A música continuava quando fui surpreendido pelo chefe Sérgio Araújo tomando emprestada uma guitarra e oferecendo uma palhinha para seus convidados, pois todos os clientes em Pirenópolis são convidados, esse é o sentimento que os visitantes têm ao chegar e sair de todo estabelecimento da encantada cidade.  
Boa sorte ao rei Malaia e todo seu reinado!

2 comentários:

Guerino Neto disse...

Rodrigo, a reportagem ficou top demais, completa e reflete desta forma todos os detalhes do que para nós foi um final de semana inesquecível!!!

Parabéns e volta mais vezes para o nosso Goiás!!!!

Rodrigo Nogueira disse...

Olá Guerino,

Voltarei com certeza! Obrigado pelos elogios. Mande abraço para sua esposa e amigos!

Até mais!

Arquivo do blog